Coringa

Atualizado: 23 de Dez de 2020

A Loucura do Coringa deve ser justificada?

É com essa indagação que convido você leitor a embarca nessa crítica do filme "Coringa" comigo.

O filme iniciou com a difícil e sofrida vida de Arthur Fleck (personagem já apresentado anteriormente no HQ e depois incluso na animação da DC de mesmo nome “Batman – Piada mortal”) que nessa versão foi apresentado de uma forma mais humana, já que seu propósito é cuidar da sua mãe já idosa e que sofre de doença grave (revelado ao decorrer do filme) e trabalha como palhaço no comércio de Gotham para atrair clientes.


Com esse background junto a adolescentes arruaceiros roubando a placa que Arthur usava no seu trabalho, logo depois espancando-o quando o mesmo tentou recuperar seu instrumento de trabalho.


O filme é uma amostra da transição perturbadora de Arthur e seus repetitivos fracassos na vida, a cada novo fracasso uma nova persona mais dura e perturbada vai moldando a mente de Arthur.

Esse filme sem duvidas é um show de interpretação do ator Joaquin Phoenix, o ator emagreceu 24kg para interpretar o Coringa no filme, para passar aquela imagem sofrida do personagem quando o vemos em tela. O ator em determinado momento do filme também consegue somente com o olhar passar a dor do personagem e seu sofrimento, esse mesmo olhar que se aproximando do final do filme passa imponência e soberania chegando até mesmo deixando o público desconfortável e com medo.

Com uma excelente atuação, trilha sonora, o filme trás um enredo violento porém nada gratuito, mostrando as razões por trás da criação de um ícone como o Coringa. Agora vou descrever o que me incomodou:

Esse filme poderia se chamar Taxy driver 2, O Rei da comédia 2 ou qualquer outra obra que esse filme beba da fonte. Não consegui associar a história de Athur com a do vilão Coringa!

Tentar justificar a loucura do vilão o que já foi feito na HQ “Piada Mortal” do Alaan Moore, ainda mesmo que na HQ mostre o ponto em que “um dia ruim pode mudar totalmente sua vida e seus valores”, o Coringa só se torna o vilão com a interferência do Batman ao derruba-lo no tanque de ácido, é ali que nasce o verdadeiro vilão insano com sua aparecia modificada.


Já no filme não vejo o Coringa que tem uma força e resistência bem acima do normal, sua maquiagem saindo a todo instante não tendo a pele branca, eu consigo ver um bom filme um bom personagem, mas não o personagem Coringa.

O diretor foi ousado em brincar com algo no roteiro que poderia sugerir um parentesco com um importante personagem do universo da DC, porem achei totalmente desnecessário e falho, poderiam trabalhar o arco da mãe de Arthur de melhor forma.

Apesar das referências de outros clássicos e da HQ Piada Mortal aqui a história é diferente de todas já contadas, o diretor do filme Todd Phillips realmente fez algo original nesse longa.


#Coringa #DC #Warner #Movie #TheGAMEBOXBRASIL #Filme